A fonte

Por Rosa Dealtina Silva*

Na fonte que desperta os amores
joguei todo meu apreço,
troquei meu endereço,
só para contornar o mal.

No fundo da fonte,
refletindo a minha mente,
que, de repente,
viu as nuvens brancas passar,
o céu azul despertar,
soprando uma nova brisa,
afinal,
me levou pelo braço
do abraço.

Plantei novas roseiras,
novos verdes das palmeiras
enfeitam meu quintal.

As pedras da fonte
brilharam;
as águas da fonte
coloriram;
nuvens brancas
e rosadas
vieram me visitar…

 

(Foto: Divulgação)

 

*Rosa Dealtina Silva é formada em pedagogia (administração escolar), com especialização em progestão escolar. Professora das séries iniciais, ensino fundamental e ensino médio. Ama filosofia, leitura, poesia e pintura. Neste espaço, ela vai compartilhar algumas de suas poesias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *