Organização social insere mais de 17 mil jovens no mercado de trabalho

Responsável pelo programa Jovem Aprendiz, da Fundação Roberto Marinho, no Paraná e em Santa Catarina, Gerar faz balanço de seus 15 anos de atuação

 

Criar oportunidades, trazendo novos investimentos para sua cidade: foi com esse objetivo que Francisco Reinord Essert, ex-diretor o Grupo Antarctica, decidiu sair da iniciativa privada para virar secretário da Prefeitura de Guarapuava (PR) em 1996. Mas o sucesso da empreitada aconteceu quando ele visualizou que o melhor caminho não era trazer parceiros de fora, e sim capacitar os cidadãos para que eles gerassem as próprias rendas. Assim foi criado o “Bairros em Ação”, implementado em 2000 e que, em seu primeiro ano, atraiu mais de 1.500 pessoas, totalizando quase 800 projetos.

“A metodologia chamou a atenção do governo e da agência de fomento, conquistando o prêmio ‘Mário Covas’ como melhor projeto de empreendedorismo do Sul do País. Fomos convidados para replicar o modelo em outras regiões, o que acabou constituindo a Gerar – Geração de Emprego, Renda e Apoio ao Desenvolvimento Regional”, relembra Essert, que hoje é superintendente executivo e administrativo da organização social (OS).

ONG Gerar é responsável pela implantação, no Paraná e em Santa Catarina, de programa da Fundação Roberto Marinho (Crédito: Divulgaçao)

Com atuação nas áreas social e ambiental, a Gerar promove projetos por todo o Brasil, com foco no desenvolvimento humano e sustentável por meio da educação e da geração de emprego. As atividades buscam transformar os indivíduos em protagonistas de suas histórias, possibilitando maneiras de autossuficiência e geração de renda própria.

Mesmo quando desenvolve ações voltadas ao meio ambiente, a OS sempre considera uma contrapartida para as comunidades envolvidas. “Quando realizamos o Gerar Ehco, que teve como objetivo neutralizar a emissão de carbono das empresas, as árvores foram plantadas em terrenos de pequenos produtores rurais, o que proporcionou uma renda extra e ainda criou a Reserva Legal para aqueles que não a possuíam”, relata a superintendente técnico e institucional da Gerar, Heloisa Arns.

Aprendiz Legal: implementação no Paraná e em Santa Catarina

Desde 2010, a Gerar faz a implementação, no Paraná e Santa Catarina, do Aprendiz Legal, projeto idealizado pela Fundação Roberto Marinho, que prepara os jovens para o mercado de trabalho. Apoiado na Lei da Aprendizagem (10.097/2000), o programa visa a facilitar a contratação de jovens entre 14 e 24 anos pelas empresas de médio e grande portes, proporcionando treinamentos complementares para uma formação integral.

A Gerar já foi responsável pela inserção de mais de 17 mil jovens no mercado, valorizando as empresas que cumprem com a Lei da Aprendizagem. “Dar oportunidade ao jovem para que ele tenha acesso ao primeiro emprego pode ser a experiência que mudará a vida dele. As empresas que cumprem a lei estão ajudando o Brasil a mudar por meio da educação e do emprego”, diz Essert.

Os superintendentes Francisco Renord Essert e Heloisa Arns, à frente da Gerar, ajudaram na inserção de jovens no mercado de trabalho  (Crédito: Divulgação )

Embora seja obrigatório que as organizações reservem de 5% a 15% de suas vagas que não exigem curso superior ou técnico para os jovens, a maioria ainda não cumpre com a lei: em 2017, apenas 41% das oportunidades previstas foram preenchidas conforme determina a Lei da Aprendizagem. Esse é um dos motivos que levou a Gerar a criar a certificação “Empresa Legal”. Essert complementa: “Oportunizar a esses jovens é um investimento, e reconhecemos as empresas que buscam dar uma formação plural, promovendo um desenvolvimento integral”.

Outra ação desenvolvida pela organização social é o Gerar Estágios, que promove a inserção de estudantes e universitários para aprendizado na prática dos conteúdos absorvidos em sala de aula. Atualmente, são nove unidades distribuídas nos dois Estados para gerenciamento dos programas e encaminhamento para as vagas de trabalho.

Apesar de ter boa parte de sua atuação direcionada aos jovens, a instituição também tem em seu portfólio outros projetos, como o Gerar Idiomas, sistema híbrido que utiliza a plataforma de e-learning Rosetta Stone e aulas presenciais para o aprendizado de uma segunda língua, e o Gerar Sênior, que visa a ajudar no envelhecimento saudável e sustentável. “Nossa população está ficando mais longeva e, em breve, teremos mais idosos do que jovens. É necessário que o envelhecimento seja saudável e ativo, e que esses indivíduos sejam capazes de gerar suas rendas, empreendendo ou exercendo outras atividades”, explica Heloisa Arns.

SOBRE A GERAR

A Gerar é uma organização sem fins lucrativos que, desde 2003, desenvolve e implementa projetos de sustentabilidade social e ambiental. A utilização da metodologia própria tem como foco não somente combater a pobreza, mas dar condições para que as pessoas sejam protagonistas de suas histórias, aproveitando as potencialidades locais para a realização de projetos de geração de trabalho e renda.

Nesse trabalho, destacam-se os programas Aprendiz Legal, concebido pela Fundação Roberto Marinho e implementado pela Gerar no Paraná e em Santa Catarina, que já foi responsável pela formação de mais de 11 mil jovens; o Gerar Estágios, franquia da Rede Pró Estágios Brasil, que promove todo o processo administrativo para gerenciamento de estagiários; o Gerar Sênior, que fomenta o envelhecimento saudável e ativo de pessoas acima de 50 anos; e o Gerar Idiomas, que possibilita a aquisição de um método de ensino híbrido, que mescla aulas presenciais com o uso do e-learning Rosetta Stone.

Saiba mais:
Site: www.gerar.org.br

 

(Por: Central Press)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *