Academia Joinvilense de Letras comemora 50 anos de atividades em novembro

Palestra com os presidentes das academias de Letras do Paraná e de Santa Catarina, no
dia 14 de novembro, na Sociedade Harmonia-Lyra, marcará a data.

Integrantes da Academia Joinvilense de Letras

A Academia Joinvilense de Letras completa 50 anos de fundação em novembro de 2019. Para marcar a data em grande estilo, a AJL realizará um encontro com o presidente da Academia Paranaense de Letras, Ernani Lopes Buchmann, e o presidente da Academia Catarinense de Letras, Liberato Manuel Pinheiro Neto. Eles irão falar sobre literatura, intercâmbio de talentos e a realidade dos núcleos acadêmicos. As palestras ocorrerão no dia 14 de novembro, às 19 horas, na Sociedade Harmonia-Lyra. A entrada é gratuita.

Ernani Buchmann – Nascido em Joinville, Ernani Buchmann é advogado formado pela Universidade Federal do Paraná, jornalista, publicitário e escritor. Tem 16 livros publicados, abrangendo gêneros como crônicas, romance e pesquisa histórica. Seu livro “Heróis da Liberdade”, ambientado em uma cidade semelhante a Joinville nos anos 1950, ganhou versão no cinema. Já a obra “Quando o Futebol Andava de Trem” esgotou duas edições e hoje faz parte do acervo da Brown University, nos EUA, e do Museu do Futebol, em São Paulo. Sua palestra enfocará “O intercâmbio de talentos da literatura entre Santa Catarina e Paraná”, um tema sempre atual devido à proximidade e troca cultural entre os dois Estados.

Pinheiro Neto – Membro da Academia Catarinense de Letras, da Associação Catarinense de Imprensa, da Associação Cultural Poemas à Flor da Pele e coordenador do projeto comunitário Confraria da Leitura na Barra da Lagoa, em Florianópolis, Pinheiro Neto também é professor universitário aposentado, poeta e jornalista.Tem sete livros publicados nos gêneros de poesia e contos, e está presente em diversas antologias no País. Sua palestra tem como tema “As academias e a literatura em Santa Catarina – a proliferação daquelas e a deterioração destas.”

Sobre a Academia Joinvilense de Letras

A Academia Joinvilense de Letras (AJL) foi fundada em 15 de novembro de 1969 e teve como primeiro presidente – e grande incentivador – o escritor e historiador Adolfo Bernardo Schneider. Tem como missão estimular a criatividade literária e a pesquisa, preservar os valores culturais da cidade e do Estado de Santa Catarina e valorizar as atividades culturais e artísticas da região. Os acadêmicos eleitos são personagens fundamentais da cultura joinvilense, com obras e pesquisas e realizações valorosas.

A semente da academia foi lançada no início da década de 1960, quando um grupo formado pelo escritor, orador e teatrólogo José de Diniz; o advogado e político Eugênio Doin Vieira; o escritor e professor Augusto Sylvio Prodöhl; e Adolfo Bernardo Schneider se reuniram e criaram, em janeiro de 1961, o “Instituto Joinvillense de Cultura”. Nesta época, o presidente era José de Diniz e o vice-presidente, Adolfo Bernardo Schneider.

A ideia de reunir pessoas ligadas às Letras com o objetivo de estimular a produção literária e intelectual local foi retomada em 1969. Na época, o então prefeito de Joinville, Nilson Wilson Bender, formou uma comissão presidida por Adolfo Bernardo Schneider – e a partir do trabalho desse grupo foi fundada oficialmente, em 15 de novembro de 1969, a Academia Joinvilense de Letras, tendo como sede provisória a Biblioteca Pública Municipal Prefeito Rolf Colin.

A AJL é a segunda mais antiga academia de Letras de Santa Catarina – antes dela só havia a Academia Catarinense de Letras (ACL), fundada em 1920 e que ganhou expressividade na década de 1960.

Inauguração em 1969 e retomada em 2013

A solenidade de inauguração da AJL, realizada nos salões da Sociedade Harmonia-Lyra em 1969, contou com a presença de personalidades renomadas no meio intelectual brasileiro, como o escritor Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, que representou a Academia Brasileira de Letras.

A partir do final da década de 1970, porém, a AJL foi, aos poucos, reduzindo as atividades. Com o falecimento do presidente Adolfo Bernardo Schneider, em 2001, ela ficou totalmente inativa – embora oficialmente ainda existisse.

A retomada ocorreu em 2013, quando o advogado e pesquisador Paulo Roberto da Silva começou a resgatar a história da AJL e a mobilizar os acadêmicos ainda vivos e a comunidade para reativá-la.

O atual presidente da Academia Joinvilense de Letras é o professor e escritor David Gonçalves. Os acadêmicos se reúnem pelo menos uma vez por mês, na Sociedade Harmonia-Lyra, na rua 15 de Novembro, 485.

SERVIÇO:

O quê: aniversário da AJL

Data: 14 de novembro de 2019, às 19 horas

Local: Sociedade Harmonia-Lyra – rua 15 de Novembro, 485 – Centro – Joinville

Quanto: entrada franca

(Com informações da jornalista Maria Cristina Dias. Fotos: Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *