Alerta da Sociedade Brasileira de Oncologia

A Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) segue com preocupação a divulgação de mensagens sobre o câncer por profissional autodeclarado “especialista em modulação hormonal”.

A afirmação de não existência de células malignas, a atribuição do surgimento do câncer à carência de hormônio e a divulgação da cura da doença através do uso de reposição de testosterona são um absurdo científico, que não encontram amparo em qualquer publicação médica respeitável. Mais que isso: são um desrespeito aos doentes que, na natural busca de tratamento para seus males, veem-se sensibilizados a aceitar informações de indivíduos que oferecem promessa de cura.

A SBOC encontra-se na obrigação de esclarecer que a reposição de testosterona não tem ação significativa contra tumores, pode ter efeito deletério sobre o paciente em tratamento oncológico e, em alguns casos, tem mesmo a capacidade de acelerar a progressão do câncer e de aumentar o risco de morte.

A SBOC apoia o alerta emitido pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) em 04/01/2019 sobre o não reconhecimento de especialista em modulação hormonal. O posicionamento da SBEM vem ao encontro da Resolução do Conselho Federal de Medicina nº 1999/2012, segundo a qual a reposição de deficiências de hormônios e de outros elementos essenciais se fará somente em caso de deficiência específica comprovada e com benefícios cientificamente comprovados.

Em face ao potencial dano da divulgação de supostos benefícios antitumorais da assim chamada modulação hormonal sobre pacientes com câncer, a SBOC acompanhará com atenção o desenrolar das denúncias já feitas junto a órgãos criminais e de defesa profissional, com a expectativa de que tais afirmações sejam retiradas de circulação.

 

(Orientações do endocrinologista Dalisbor Marcelo Weber Silva, da Clínica EM.DIA – Endocrinologia, Metabologia e Diabetes, de Joinville, conforme publicação das Sociedades de Oncologia e de Endocrinologia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *