Ceifa

 Por Rosa Dealtina Silva*

O coração sangra…!
O grito
não ecoa;
o pensamento
voa…
A ceifa infante
freou a criança;
cessou
a esperança!

Janela,
porta e portão
não tinham mãos
para parar o trovão;
partindo a vida;
levando na partida
pessoas e aspirações…

Àqueles que ceifaram…
Àqueles que ficaram,
paz aos corações!
Às orações,
saudades!

Baluartes do saber…
Bases das verdades!
Sem entender,
sem nada dizer…
O quê?!

*Rosa Dealtina Silva é formada em pedagogia (administração escolar), com especialização em progestão escolar. Professora das séries iniciais, ensino fundamental e ensino médio. Ama filosofia, leitura, poesia e pintura. Neste espaço, ela vai compartilhar algumas de suas poesias.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *