Como falar sobre morte com as crianças

As autoras Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso lançaram pelo selo Tordesilhinhas a obra “Para onde vamos quando desaparecemos?”, que discute a morte de forma sutil, sem, em qualquer momento, falar explicitamente sobre ela. A obra consegue entrar no mundo das crianças por meio de analogias leves e reflexões sobre mistérios do cotidiano.

Pode parecer estranho que um tema como este tenha inspirado um livro infantil, mas, segundo a autora, todos os temas fazem sentido para uma criança, até porque as crianças não são todas iguais e cada uma terá os seus interesses, as suas questões, que dependem também muito da fase em que se encontra, da sua idade e da vida que está a viver.

De acordo com Isabel, “os autores de obras para a infância devem arriscar sempre. Porque nesta área há muitas fórmulas de sucesso garantido, há muitas estratégias e muitos truques para chegar aos mais novos, mas isso acaba por ser algo construído de fora para dentro. Para mim, como autora, faz sentido arriscar”.

Através de analogias leves e reflexões sobre mistérios do cotidiano, a obra consegue entrar no mundo das crianças, como, por exemplo:

– Para onde vão as nuvens e as poças d’água?

– Para onde vai o barulho quando se faz silêncio?

– Para onde vão as coisas e as pessoas quando não estão mais aqui?

Cada pergunta tem uma resposta diferente, mas, já que ninguém sabe ao certo qual é, as autoras dão asas à imaginação para que o leitor invente quantas possibilidades quiser!

 

Saiba mais:

Título: “Para onde vamos quando desaparecemos?”

Editora: Tordesilhinhas

Páginas: 44

Preço: R$ 38,00

 

 

(Por Giovanna Luna)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *