De olho no futuro, Figueirense valoriza base e renova contratos de promessas no profissional

Um clube formador de atletas de alto nível. Esse é um dos maiores reconhecimentos que o Figueirense possui no cenário do futebol brasileiro. Tal virtude se evidencia, cada vez mais, no novo momento vivido dentro e fora dos gramados. Com planejamento e responsabilidade, o Alvinegro definiu como uma das prioridades a valorização dos jogadores formados nas categorias de base. Entre dezembro de 2018 e março de 2019, oito atletas tiveram contratos ampliados dentre os 18 presentes no elenco profissional.     

Os casos mais recentes ocorreram na última semana. O volante Jean Martim, de 19 anos e que inicia sua sétima temporada no Estreito, permanecerá até dezembro de 2021. O jovem acumula vitórias e conquistas desde as categorias de base, com destaque para o título da Copa do Brasil Sub-15, em 2014.

 Já o polivalente Mateus Brunetti, que se destaca na zaga e na lateral esquerda, é uma das surpresas no elenco alvinegro com média de idade de 23 anos. O atleta de 19 anos estendeu vínculo até o final do próximo ano. Destaque na última edição da Copa São Paulo de Juniores, o atacante João Diogo, alçado ao profissional após ser o artilheiro na principal competição de base do país, com sete gols, escolheu seguir no Alvinegro até dezembro de 2020.   

No final de 2018, outras três promessas também prolongaram suas permanências: o meia Guilherme, de 20 anos, o centroavante Matheus Lucas e o atacante Gustavo Poffo – que se recupera de lesão. Guilherme está ligado ao Furacão até junho de 2020, enquanto Matheus Lucas permanece até o encerramento da próxima temporada e Poffo até dezembro deste ano. 

O trabalho realizado de forma integrada entre diretoria e comissão técnica é constatado no elenco principal, onde mais da metade tem o DNA alvinegro. Essa realidade é exaltada pelo craque e ídolo Fernandes, que, atualmente, ocupa o cargo de gerente de futebol.

“Os atletas formados aqui estão provando, a cada partida, muita qualidade e muita dedicação. Serão fundamentais durante toda a temporada. E isso só mostra o trabalho muito bem feito por toda uma equipe, todo um time fora de campo, que dá o suporte necessário para o desenvolvimento pessoal e profissional desses atletas”, ressaltou. 

Retomada

O planejamento também considera a recuperação de opções na principal categoria do Furacão. Um exemplo é o versátil Kauê, de 22 anos, com contrato até abril de 2020.

Diante de uma relação iniciada aos 12 anos, no Centro de Formação e Treinamento do Cambirela, o versátil jogador, de 22 anos, tem passagens pela Seleção Brasileira de Base. O jogador, que superou as graves lesões no começo da carreira profissional, em 2017, se firma, cada vez mais, como uma opção para a lateral direita e também como volante, sua posição de origem.   

“São dez anos aqui e se tornou minha casa. Durante esse tempo sempre foi um sonho jogar no profissional do Figueirense. Tenho um vínculo muito grande com o clube, algo familiar. É uma alegria imensa representar essa camisa”, destacou Kauê. 

(Por Figueirense Futebol Clube)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *