Em Jaraguá do Sul, Schützenfest, considerada a maior festa de atiradores do Brasil, resgata tradições dos colonizadores alemães em Santa Catarina. Começa hoje!

Quando os imigrantes europeus deixaram a terra natal para colonizar o Brasil, trouxeram mais do que o idioma e as roupas nas bagagens. Com eles vieram também diversas tradições. Em alguns lugares, esses costumes são preservados até hoje, atravessando gerações. É isso o que ocorre em Jaraguá do Sul, no Norte Catarinense, onde a cultura germânica é tratada como um verdadeiro patrimônio e tem até uma festa para chamar de sua. Encarada como um resgate cultural, a Schützenfest, que em alemão quer dizer Festa dos Atiradores, está na 30ª edição e neste ano ocorre de 8 a 18 de novembro, no Parque Municipal de Eventos.

Movimentando a região, a comemoração resgata e mantém viva uma tradição que chegou ao Brasil por volta de 1895. Segundo a historiadora Silvia Kita, do Arquivo Histórico de Jaraguá do Sul, na época os alemães deram continuidade ao estilo de vida que tinham no país de origem. Entre as atividades, estavam os torneios semanais de tiro e todo o folclore que os cercam.

Ela explica que dentro da tradição do tiro estava a Busca do Rei e da Rainha e, ao final dos campeonatos, ambos eram coroados. “Nessas cerimônias chamadas de marchas de busca das majestades se evidenciavam o associativismo, a destreza do tiro, o idioma, a música, a dança, o artesanato, as roupas e a gastronomia típica. Um verdadeiro leque de informações culturais”, destaca. Esses rituais culminavam em um grande baile, no qual os vencedores eram homenageados.

Todas essas atividades ocorriam nas chamadas Schützenvereine, ou sociedades de atiradores, mas foi somente em 1988, com a criação da Associação dos Clubes e Sociedades de Caça e Tiro do Vale do Itapocu (ACSCTVI), que o evento passou a se chamar Schützenfest. Dessa forma, além de manter a cultura germânica viva, as sociedades puderam levá-la ao grande público. Mesmo depois de mais de um século, ainda hoje é possível vivenciar e preservar os costumes dos imigrantes alemães.

Conforme a historiadora, trata-se de um patrimônio cultural de grande relevância. “É o resultado do que é vivenciado semanalmente nas sociedades de tiro. É a forma de o povo preservar e divulgar sua cultura”, enfatiza. Além de se envolverem nos calendários de eventos anuais, essas sociedades se empenham nos preparativos da Schützenfest, com a organização dos desfiles, das apresentações artísticas e na coordenação os estandes de tiro, que são abertos à comunidade. Entre as modalidades praticadas estão a carabina, o chumbinho e a flecha. Atualmente, são 22 sociedades, e 15 ainda permanecem ativas.

Para a historiadora, o esforço na preservação do patrimônio cultural é retribuído quando cada visitante prestigia o evento. “A história contada tem seu valor, mas a história vivida por todos cativa, engrandece e faz com que se perpetue”, ressalta.

Programação


Para a edição comemorativa de 30 anos da Festa de Atiradores, a Comissão Central Organizadora se preocupou em oferecer uma programação pautada nas tradições. Mais de 50 bandas típicas vão animar os visitantes durante os 11 dias de Schützenfest. Entre os destaques estão grupos como Adler’s Band, Banda D’Fibes e Die Brants, além das já consagradas Banda Bavária, Musical JS, Vox 3, Estrela e Ouro e Brilha Som.

Os grupos folclóricos de dança também têm papel de destaque da agenda. As apresentações que preservam as tradições alemãs com vestimentas, coreografias e canções prometem encantar o público diariamente. Além disso, para que todos os visitantes conheçam a trajetória da Schützenfest, também é realizada a exposição “No alvo da história”.

Junto com a boa música, a programação também mantém outros rituais vivos, como as marchas diárias de busca de reis e rainhas e em todos os domingos, o Desfile das Sociedades de Tiro. No dia 16 de novembro, ainda ocorre a escolha da rainha e das princesas que representarão a 31ª edição da Schützenfest, em 2019. Já as majestades do tiro serão coroadas no dia 18, marcando o encerramento do evento.

Gastronomia
A programação gastronômica é uma atração à parte. Nos Ecke’s (cantos de alimentação), o público poderá se deliciar com pretzel, waffle, salsicha, batata recheada e várias outras iguarias. No restaurante típico, a gastronomia germânica também ganha destaque. Para quem não abre mão de chope, a festa oferecerá várias opções assinadas pela Germânia e Heineken e pelas artesanais Karsten, Königs Bier e Maestro. Para completar, há a Schützenbier, cerveja exclusiva produzida a partir de uma parceria entre as cervejarias artesanais presentes no evento.

Números


A organização da festa também pretende superar os índices da edição anterior. O recorde de público aconteceu no ano passado, quando 91.238 pessoas circularam pelo Parque Municipal de Eventos. Também foram disparados 129.432 tiros, comercializados mais de 132.513 copos de chope e servidas 4.973 refeições.

Sobre a Schützenfest
A Schützenfest é a maior festa de atiradores do Brasil. Resgatando a tradição do tiro desportivo, ela envolve integrantes de sociedades e também diverte o público em geral. Neste ano, a comemoração chega à 30ª edição e ocorre de 8 a 18 de novembro, em Jaraguá do Sul, no Norte Catarinense. Para conferir a programação completa, basta acessar as redes sociais do evento.

 

(Por Entrelinhas. Fotos: Divulgação Entrelinhas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *