Joinville ganha espaço para testar soluções inovadoras para a cidade

Por Patricia Gaglioti
Equipe Fazer Aqui

A assinatura dos acordos de parceria com seis empresas e a Prefeitura de Joinville ocorreu no dia 30 de julho, no auditório do Ágora Tech Park (Foto: Jaksson Zanco/Prefeitura de Joinville)


O Perini Businnes Park
, parque empresarial localizado no Distrito Industrial de Joinville, vai se tornar um laboratório a céu aberto. A partir de agora é possível que empresas usem o espaço para testes e demonstrações de novos produtos e soluções.

Este é o “Perini City Lab”. Traduzindo: um laboratório da cidade. O projeto foi idealizado por Jean Vogel, diretor executivo do Ágora Tech Park, uma das empresas situadas dentro do Parque Industrial. O lançamento da iniciativa ocorreu na noite de terça-feira (30/7), no auditório do Ágora. Durante a cerimônia, foram assinados termos de cooperação com seis empresas e com a Prefeitura de Joinville.

As primeiras empresas parceiras do projeto são: Acate (Associação Catarinense de Tecnologia), Macnica, ICities, ABII (Associação Brasileira de Internet Industrial), Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem e Waze.

Na prática, isso significa que empresas e instituições, como universidades, que queiram, por exemplo, testar o uso de meios de transporte alternativos ou um sistema tecnológico de reconhecimento facial, poderão se tornar parceiros do Perini City Lab e usar a estrutura do parque para isso.

O Perini é um espaço com 2,8 milhões de metros quadrados, 15 km de ruas calçadas e 220 empresas instaladas. Circulam por lá cerca de 10 mil pessoas por dia. O local ainda conta com iluminação e transporte públicos. “Reunimos no parque uma série de características próprias de uma cidade”, afirma Jean. O que oferece uma proximidade com a estrutura de uma cidade e maior efetividade em testes.  

Para efeito de comparação, a circulação diária de pessoas no Perini é maior que a quantidade de moradores de bairros como Anita Garibaldi, Atiradores, Espinheiro e Profipo.


Cidades inteligentes


Neste primeiro momento, o Perini busca parcerias com empresas tecnológicas e instituições que criem produtos e soluções voltadas para cidades inteligentes. Explicando: cidades inteligentes são aquelas que usam a tecnologia e a inovação para melhorar processos e a vida das pessoas.  

Isso pode incluir o desenvolvimento de sistemas de monitoramento e alerta de bueiros entupidos; sistemas de integração entre diferentes modais de transporte; sistemas de monitoramento e segurança, e tudo que a tecnologia permitir. Esses são apenas alguns exemplos de uso da tecnologia para tornar a cidade inteligente. 

Segundo Jean, existem diferentes modalidades para uma empresa ou instituição se tornar parceira do Perini City Lab. O projeto não se restringe a empresas locais, ao contrário, está aberto a parcerias de todo o Brasil e do mundo. “Queremos que o Perini seja uma grande vitrine para cidades inteligentes”.


Intercâmbio com o consulado da Inglaterra


O projeto já conta com uma parceria internacional. No dia 23 de julho, foi assinado um acordo com o governo inglês. O documento tem a assinatura de Dylan Thomas, diretor de Tecnologia e Smart Cities do Departamento Internacional de Comércio do Reino Unido. Isso abre a possibilidade de intercâmbio entre empresas britânicas e brasileiras, organização de eventos e ações bilaterais.


O que Joinville ganha com isso?


“Quanto mais cidades, empresas e instituições puderem vir para cá (para serem parceiras do projeto), mais Joinville poderá aprender”, afirma Jean Vogel.  

Para Danilo Conti, secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável (Sepud), o Perini City Lab deve ser tornar um acelerador de projetos inovadores que podem ser usados pelo poder público.

A própria Sepud fará avaliação de um microssistema de mobilidade urbana no local, testando a integração de diferentes modais. Está prevista também o uso do espaço para testes com areias descartadas de fundição, as chamadas ADFs. Segundo Danilo, devem ser feitas avaliações para reaproveitar a areia para outros fins, como recapeamento de vias.

O secretário explica ainda que não há regulamentação para se fazer testes de novas tecnologias em espaços urbanos. Por isso, ter uma “cidade-laboratório”, como propõe ser o Perini City Lab, permite que tecnologias sejam colocadas à prova antes de serem usadas. “Otimiza o esforço e faz com que se erre menos”, afirma.

Outra área prioritária para a cidade é a segurança pública. Em parceria com os campi de Joinville da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), devem ser testados no Perini tecnologias de reconhecimento facial.

A previsão é que daqui a aproximadamente um ano comecem a aparecer resultados práticos do “Perini Lab City”. “A gente será, muito em breve, o maior case de cidade inteligente da América Latina”, assegura o secretário Danilo.

O Ágora Hub é um ambiente aberto, interativo, colaborativo e sustentável, criado para potencializar conexões inteligentes entre atores do ecossistema de inovação e tecnologia. Ele está dentro do Perini Business Park (Foto: Patricia Gaglioti)


Caminho da inovação


Joinville está há alguns anos desenvolvendo seu ecossistema de inovação. Ou seja, promovendo o relacionamento entre empresas, universidades e poder público para que seja possível o desenvolvimento de tecnologias e processos inovadores.

Isso inclui a criação do Programa Join.valle, em 2015, com a intenção de pensar e discutir soluções inovadoras para uma cidade do futuro; o documento Joinville 30 anos; o “City Lab”, uma parceria com organizações alemãs para elaboração de projetos para a cidade; e a maratona de negócios de impacto, ente outros.

A criação do “Perini City Lab” é mais um desses projetos. “Há um cenário que está ajudando a posicionar Joinville como uma cidade inteligente”, diz Jean Vogel, executivo da Ágora. Para ele, contribuem o fato de Joinville ser a cidade mais populosa do Estado, de ter um parque empresarial como o Perini e a proximidade com as universidades, entre outras características.

No dia 22 de julho, Joinville foi uma das 15 cidades brasileiras que receberam o Prêmio Inova Cidade 2019, em São Paulo. A premiação é concedida pelo Instituto Smart City, uma entidade sem fins lucrativos que promove discussões sobre cidades inteligentes.

A cidade é premiada pelo projeto “Smart Mobility”, um grande banco de dados sobre mobilidade urbana para orientar a tomada de decisões do poder público. O projeto foi implementado em junho de 2018 pela Sepud.

Leia também:

Joinville recebe Prêmio Inova Cidade 2019 por banco de dados da mobilidade urbana

Um novo jeito de se locomover pela cidade: transportes compartilhados e sustentáveis serão lançados em Joinville

Joinville será a primeira cidade da América a receber o Mobility City Lab, nesta segunda-feira

Instituições da Alemanha ajudam Joinville a pensar a mobilidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *