Novembro Azul: chegou a vez de falar sobre a saúde do homem

Por Dr. Luiz Edgar Castanheira*

Chegamos a mais um mês de novembro, quando acontece a campanha Novembro Azul, um movimento mundial que tem como objetivo chamar a atenção para a prevenção evo diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina, em especial o câncer de próstata.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de morte por câncer em homens no Brasil, perde apenas para o câncer de pele. A doença mata anualmente 15 mil homens*, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), que também estima o surgimento de 68 mil novos casos** ao ano.

Outros números apresentados pelo Inca e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) dão conta de que apenas 32% da população masculina faz exame de toque e um, a cada seis homens, irá desenvolver a doença.

Falta de informação, preconceito, vergonha ou correria do dia-a-dia. Esses são os principais motivos que levam os homens a deixar de lado procedimentos simples, que podem levar ao diagnóstico precoce do câncer de próstata, doença que tem 90% de chance de cura, se diagnosticada precocemente.

Idade, raça negra e histórico familiar são os principais fatores de risco para a doença.

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) preconiza que após aos 50 anos os homens façam o exame de PSA (Antígeno Prostático Específico) e o toque retal anualmente. No Brasil, a cada 10 casos de câncer de próstata, 9 são homens com mais de 55 anos.

Homens com casos de câncer de próstata em parentes de primeiro grau (pai, avô ou irmão) têm duas vezes mais chances de desenvolver a doença, por isso devem iniciar o acompanhamento com um urologista aos 45 anos. O mesmo vale para os homens negros, que têm mais predisposição ao câncer de próstata.

Mas o que é próstata?

Tanto se fala em câncer de próstata, mas muitas pessoas não sabem o que é e para que ela serve.

A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, que está localizada abaixo da bexiga e que envolve a parte superior da uretra, canal por onde passa a urina. No homem jovem é do tamanho de uma cereja, mas seu tamanho aumenta com o avanço da idade.

Tem a função de produzir um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozoides.Ela não é responsável pela ereção e nem pelo orgasmo.

Sintomas

Em alguns casos a doença é assintomática, em outros pode dar alguns sinais como:

  • Dificuldade em urinar
  • Demora para começar e terminar de urinar
  • Sangue na urina
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou noite

Sobre o diagnóstico

Em alguns casos o câncer de próstata cresce de forma lenta e muitas vezes não chega a dar sinais durante a vida e nem ameaçar a saúde do homem. Já em outros cresce rapidamente e se espalha para outros órgãos (metástase) causando a morte. Exame clínico, laboratorial ou de imagem são utilizados para a identificação da doença que, em última etapa, se confirma por meio de biópsia.

Exame de PSA – exame de sangue que mede a quantidade de uma proteína produzida na próstata. Níveis altos podem indicar câncer, mas também doenças benignas da próstata.

Exame de toque – o médico avalia alterações de tamanho, forma e textura da próstata, introduzindo o dedo protegido por luva lubrificada.

Biópsia da próstata – o exame mandatório no diagnóstico ou exclusão do câncer, quando encontrada alteração do exame de PSA (Antígeno Prostático Específico) ouno exame de toque retal. Como ela é considerada um exame invasivo, já que consiste na retirada de fragmentos da glândula através de uma agulha, a ressonância magnética vem sendo bem utilizada auxiliando na seleção de pacientes candidatos à biópsia.

A prevenção

Fala-se muito na prevenção do câncer de próstata, mas na verdade o que precisamos difundir é o diagnóstico da doença ainda em fases iniciais. Obesidade, sedentarismo e alimentação rica em gorduras, parecem estar associadas ao aumento da incidência da doença.

Tratamentos

Os tratamentos o contra o câncer de próstata são muito individualizados, considerando o estágio da doença, a idade do paciente, entre outros. Podem variar desde a vigilância ativa, radioterapia, terapia focal e em alguns casos cirurgia. Hoje existem técnicas minimamente invasivas, com destaque para a cirurgia robótica, a mais moderna e inovadora técnica cirúrgica da atualidade.

Mulheres como aliadas

A participação e o apoio das mulheres em campanhas como o Novembro Azul são muito relevantes. Elas incentivam o companheiro, pai, familiar ou amigo a fazer exames preventivos. De acordo com pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde no ano passado, 70% dos homens quando vão ao médico, o fazem motivados pela mulher ou pelos filhos.

*Dados do Inca de 2017 /
**Dados do Inca de 2018

*Dr. Luiz Edgar Castanheira é médico urologista (CRM-SC 8494 / CRM-SP 196924 / RQE 4799). Médico joinvilense, graduado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná. Com residência em Cirurgia Geral no Hospital Municipal São José, em Joinville-SC, e residência em Urologia no Hospital Nossa Senhora Das Graças, em Curitiba-PR. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (TiSBU).

 

 

  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *