Novembro Azul – Inovação em tratamento garante mais qualidade de vida a pacientes

Chegou Novembro Azul, mês da campanha que alerta sobre o câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens e que ainda gera tabu entre milhares de brasileiros. A incidência desse tumor é considerada alta: cerca de 17%. Isso quer dizer que um em cada seis homens será acometido pela doença.

Com o uso da tecnologia, os tratamentos estão cada vez mais avançados, preservando ainda mais o paciente. Um dos exemplos que está ganhando espaço no Brasil é a cirurgia robótica – por intermédio do robô o médico consegue fazer o procedimento de remoção da próstata com precisão. A técnica resulta em menor morbidade, menor sangramento e retorno precoce às atividades.

Médico urologista catarinense Fábio Lepper, pioneiro na cirurgia robótica (Fotos: Divulgação)

Especialista em cirurgia robótica pela Intuitive Surgical, na Califórnia, o médico urologista catarinense Fábio Lepper, pioneiro neste tema, sendo o primeiro urologista certificado no Estado para fazer cirurgia robótica,  conta que esta opção de tratamento é um avanço da laparoscopia. “A utilização da plataforma robótica permite uma tele cirurgia presente, acarretando uma série de benefícios ao paciente no intra e pós-operatório”, destaca o doutor.

Lepper, especialista em próstata, destaca também as diferenças entre a cirurgia robótica e os outros tipos de procedimentos para o câncer de próstata. Segundo ele, o paciente que realiza o procedimento por meio da robótica tem 20% a mais de chance de recuperar a ereção e 5% a menos de chance de ter problemas com incontinência urinária.

É importante que os homens acima de 50 anos busquem anualmente um médico especialista para fazer os exames necessários. A partir de 45 anos é indicado procurar um urologista caso haja registros de câncer na família.

Atualmente, no Brasil há cerca de 35 plataformas robóticas, sendo a maior parte concentrada em São Paulo, enquanto nos Estados Unidos, por exemplo, já são mais de 2.000 em atividade. Como o doutor Fábio Lepper é membro do Hospital Nove de Julho e do Sírio-Libanês, ambos em São Paulo, ele acompanha seus pacientes até as instituições, local em que as cirurgias são feitas.

Saiba mais

  • A primeira cirurgia realizada pelo robô no Brasil foi em 2008, no Hospital Sírio Libanês.
  • A plataforma robótica permite a realização de diferentes tipos de cirurgia, em diversas especialidades, com grande destaque para a urologia. É possível realizar prostatectomias, nefrectomias, cistoprostatectmias, pieloplastias entre outras.

Números

Estima-se, para o Brasil, biênio 2018-2019, a ocorrência de 600 mil casos novos de câncer para cada ano. Essas estimativas refletem o perfil de um país que tem os cânceres de próstata, pulmão, mama feminina e cólon e reto entre os mais incidentes, entretanto, ainda apresenta altas taxas para os cânceres do colo do útero, estômago e esôfago. Os cânceres de próstata (68 mil) e mama (60 mil) serão os mais frequentes.

Sobre Fábio Lepper

É médico urologista em Joinville, Santa Catarina

Membro do corpo clínico do Hospital Nove de Julho, em São Paulo

Membro do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo

Membro do corpo clínico do Dona Helena, em Joinville/SC

Membro do corpo clínico do Hospital Municipal São José, em Joinville/SC

Membro do corpo clínico da Unimed, em Joinville/SC

Fellow em cirurgia robótica e laparoscopia pelo Johns Hopkins Hospital, Baltimore, EUA

Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

Certificado pela Intuitive Surgical para a realização das cirurgias robóticas

(Por Tai Rodrigues Comunicação e Conteúdo)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *