“Palhaços”, teatro censurado em 1968 pela ditadura militar, estará na Ajote nesta sexta-feira

O Abismo Teatro de Grupo vai levar ao palco da Associação Joinvilense de Teatro (Ajote), nesta sexta-feira (29/11), às 20 horas, o impactante espetáculo “Os Palhaços”. É mais uma oportunidade imperdível de conferir essa peça censurada em 1968 pela ditadura militar. Os ingressos, a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), podem ser adquiridos no local, um pouco antes do espetáculo, ou ser reservados pelo telefone (47) 99603-5584 e e-mail abismoteatrodegrupo@gmail.com.

Em 17 de agosto de 1968, em plena ditadura militar, o Grupo Teatro Renascença estava para estrear “Os Palhaços”, de Miraci Dereti, mas foi impedido pela censura local. Em 2018, 50 anos depois, o Abismo Teatro de Grupo começou o processo de montagem da peça, após realizar uma série de leituras dramáticas, e conseguiu finalmente levar para a cena teatral “Os Palhaços”.

Conforme Dereti descreveu, não era uma peça de enredo. “É uma peça da vida real, do cotidiano […] O cotidiano fornece o argumento. As situações e os quadros não são criados. São apenas reproduções daquilo que a vida e a sociedade nos coloca diante dos olhos dia após dia […] O público deverá ser atingido: deverá sentir que muitas vezes é obrigado a fugir da verdade porque a sociedade criou mitos. Criou lideranças morais, religiosas e políticas que estão totalmente distanciadas da realidade em que este público vive”.

Ficha Técnica

Texto:  Miraci Dereti

Atuação:  Isadora Dourado, João França, Letícia Helena e Marcos Vicente

Trilha Sonora Original: Lausivan Corrêa

Cenário e figurino: Regina Marcis e Grupo

Iluminação: Flávio Andrade

Assessoria de imprensa: Santa Cultura – Comunicação Criativa

Designer Gráfico: André Beavis

Direção: Cristovão Petry

Produção: O grupo

Duração: 50 minutos.

Classificação indicativa: 14 anos

Sobre Miraci Dereti

Miraci Dereti nasceu em Jaraguá do Sul em 23/7/1942. Foi professor, ator, diretor, escritor e dramaturgo. Ingressou na política como vereador em Joinville em 1973, chegando à Assembléia Legislativa para um mandato, de 1975 a 1979. Foi o primeiro presidente da Fundação Cultural de Joinville, coordenador do Patrimônio Histórico e do Arquivo Histórico da Fundação Cultural de Joinville. Atuou também no Ministério da Cultura. Escreveu o livro de contos “Atrás do Pé de Silva”. Faleceu em 9/12/2006.

Serviço:

O quê: apresentação de “Os Palhaços”

Quando: 29 de novembro, sexta-feira, às 20 horas

Local: Galpão de Teatro da Ajote, rua XV de Novembro, 1383 – América

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) R$ 5,00 (Meia entrada)

Reservas: (47) 99603-5584/ abismoteatrodegrupo@gmail.com

Outras atividades do Abismo Teatro de Grupo
e da Amorabi para este fim de semana:

Programação do Novembro Cultural, que homenageia Pedro Rocha de Alcântara, com as seguintes atividades (todas na sede da Amorabi, rua dos Esportistas, 510, Itinga):

– Dia 28 de novembro (quinta-feira), 19h30

Encerramento do curso de violão e canto, com coordenação de Fio José.
Apresentação de Capoeira, Karatê e Yoga
Convite para que todos tragam algo para o café comunitário
Banquinha de Livros e Brechó da Amorabi

– Dia 30 de novembro (sábado), das 15h às 19h

Projeto Somos Todos Líderes: Oficina de Dança e Liderança com Kênio Nogueira, a partir dos 16 anos, gratuitamente. Inscrições e informações pelo telefone (47) 98804-2729. Banquinha de Livros e Brechó da Amorabi

– Dia 30 de novembro (sábado), 20h

Espetáculo “É O TREN!”  Resultado Curso de Teatro realizado no Trentino I, sob a coordenação de João França e Letícia Helena. Classificação Indicativa: livre.Banquinha de Livros e Brechó da Amorabi

Leituras Dramáticas – no Centro dos Direitos Humanos Maria da Graça Braz, rua Dr. Plácido Olímpio de Oliveira, 660, Bucarein.

– Dia 29 de novembro (sexta), 16h 

Texto: “As moças: o último beijo”, de Isabel Câmara, com Letícia Helena e Isadora Dourado. Local:

Sinopse: apresenta uma relação de amor, ódio e amizade entre duas mulheres: uma jornalista e a outra “quase” atriz; uma “quase” velha e a outra, jovem. Elas se encontram no Rio de Janeiro em algum momento entre os anos de 1965 e 1975 e dividem o mesmo apartamento enquanto tentam se estabelecer profissional e afetivamente em meio à ditadura militar e à revolução sexual que marcaram aquela época.

Para mais informações, ACESSE AQUI 

(Com informações de Santa Cultura Comunicação Criativa. Fotos Jackson Nessler e Divulgação)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *